Rádio 96 FM

OPINIÃO

EDERSON VILAS BOAS



Jornalista
Éderson Carpeggiani Villas Bôas
Jornalista formado pela UnC Concórdia em 2007
Repórter do Departamento de Jornalismo da Rádio Rural
Repórter Esportivo da Rádio Rural
Comunicador da Rádio 96 FM




Opinião
Adicionado em 13/02/2018 às 10:59:47

Apesar de as imensas críticas sobre ter ou não Carnaval em Concórdia, afirmo que gostei do empenho das duas agremiações que realizaram o desfile no último sábado. Ele poderia ser maior? Com certeza poderia!

Não quero aqui entrar (entrando) no mérito dos recursos. Apenas afirmo sobre o mesmo resmungo, quando da construção da Rua Coberta. Dinheiro pra uma finalidade só poderá ser investido naquela finalidade. No caso do Carnaval, foi feito um projeto pra captar recursos das leis de Cultura que existem a nível Estadual, Nacional. E foi recebido. Esse mesmo recurso NÃO pode ser usado em Educação, Urbanismo, Transporte, etc. Ele é da Cultura. E, se o Carnaval é considerado uma forma de demonstrar a Cultura, ele é SIM de direito e foi conquistado pelas agremiações honestamente.

Só acho que se o Carnaval for mantido em Concórdia, que volte a ser realizado na Rua Dr. Maruri. No Parque de Exposições o povo não vai. Isso já ficou explícito e evidente nos últimos dois Carnavais, pelo menos. É dar murro em ponta de faca. É gastar com dinheiro em arquibancada pra “meia-dúzia”. Não me entendam mal, não estou desmerecendo quem foi e gosta. Pelo contrário, estou só conjecturando e me fazendo entender a este raciocínio.

A administração de Concórdia tem que entender se quer ou não que o município tenha a festa. Tem que ter convicção, não pode ser político e pensar em agradar este ou aquele. Ficará mais “bonito” perante todos e a ela própria escolher entre o “SIM” ou o “NÃO”.

Repito, este dinheiro que vem é um dinheiro de direito. Se este ou aquele grupo ou entidade querem também, para a Cultura, que encaminhe um projeto consistente, pra depois não criticar quem ganhou, como o Carnaval de todo o país ganha.

Outra, sei do gosto e desgosto de muitos. As igrejas, por exemplo, tem suas ideologias e pensamentos, pessoas são adeptas outras não. Não quero aqui também embolar religião no meu pensamento, mas "Deus não faz diferença, não discrimina, nem privilegia seus filhos isoladamente". Portanto, respeitamos nós os que gostam.

Volto a afirmar. Opinião minha… Enquanto não tiver um Carnaval forte, como em Joaçaba, o desfile deveria ser no CENTRO.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM

14

Mai
Ederson Vilas Boas

​O apoio aos doentes e sintomáticos é fundamental tanto quanto remédio

Não sei nem como iniciar o texto de hoje. Os últimos dias têm sido punk. Não estão sendo fáceis! O afastamento, o isolamento é até mais pesado que os sintomas da doença e a recuperação. Mas o que nos ajuda e nos faz voltar para o caminho é a força...

Leia mais

07

Mai
Ederson Vilas Boas

​Com muito cuidado, vamos nos cuidando

Como é difícil tudo isso! Como está complicada essa relação diária, falo em todos as situações. Falo sobre a pandemia do Coronavírus. Não sabemos o que pensar e quando se pensa, não temos noção de como fazer. O que estou escrevendo parece tudo sem...

Leia mais

23

Abr
Ederson Vilas Boas

​Agora é hora de salvar pessoas. Deixe a política para mais tarde

Poucas vezes escrevi sobre política e vocês, que me acompanham, pouco irão ler essa temática no meu blog ou nas redes sociais. Eu trabalho com pessoas, eu conheço pessoas e sei que as vezes falar sobre isso, será como bater em ponta de faca, ou...

Leia mais

16

Abr
Ederson Vilas Boas

Que falta faz um sorriso

Circulando nesta semana pelo centro da cidade, encontrei algumas pessoas conhecidas. E neste contato, de longe, claro, aconteceu o cumprimento cordial. Mas ele não foi igual. Infelizmente, nada está igual. Como é decepcionante não poder sorrir e...

Leia mais

09

Abr
Ederson Vilas Boas

Jornalista com orgulho

Nesta sema afoi o dia do Jornalista e eu quero agradecer a cada um que mandou mensagem. Foram dezenas. Estou na área desde 1993, quando cheguei a Rádio Rural para aprender na central técnica e fui contratado, pelo então, Clélio Dal Piaz. De lá em...

Leia mais