ÁREA RESTRITA - Bem Vindo {NOME_USUARIO}




NOTÍCIAS


EDUCAÇÃO

Alunos do IFC participam de protesto no centro de Concórdia
Mobilização ocorre em todo o país por conta de bloqueio em verbas.


Por Luan de Bortoli
Em 15/05/2019 - 06h45 - Atualizada em 15/05/2019 - 11:32


Luan de Bortoli

Protestos em defesa da educação ocorrem em todo o país nesta quarta-feira, 15. Em Concórdia, a mobilização também ocorreu. Alunos do Instituto Federal Catarinense (IFC) do município se reuniram no centro da cidade. O ato começou por volta das 09 horas. Cerca de 100 alunos e professores participaram do movimento, na Rua Coberta, Praça Dogello Goss e Rua Dr. Maruri.

Conforme o diretor do Instituto, os alunos atenderam a uma solicitação nacional e entenderam ser positiva a mobilização. A direção suspendeu as aulas do período, que serão repostas na sexta-feira à tarde, quando, normalmente, não há horário letivo. A adesão é livre. À tarde, a unidade de ensino também vai realizar uma palestra sobre a reforma da previdência no campus. 

Conforme o diretor do IFC, Nelson Golisnki, medidas já foram tomadas para se adequar aos cortes. "Suspendemos viagens técnicas, economia de luz, na faixa de 50%. Isso faz com que o próprio aluno interno, que nós temos 232 alunos, a gente está regulando até o banho de 5 minutos. Os empenhos também estão todos cortados, viagens de carros 50%. E, mes a mes, estaremos avaliando. O plano B é cortar toda nossa fazendo, parte da zootecnia, agricultura. Chegando em setembro, a coisa fica mais pesada, inviabilizando vários projetos".

Uma das alunas presentes no protesto, Clara Luna, afirmou que o objetivo é salvar o que os estudantes batalham para conseguir. "É a gente tentar salvar o que a gente tem. Muita gente batalhou para entrar e a gente não pode perder isso. É tanta coisa que a gente desenvolve lá, se faltar, não vai afetar só a gente, mas afetar também o pessoal aqui de baixo. Se fecha, a gente vai embora. A gente é estudante, a gente quer estudar e agregar mais", pontua.

As manifestações são contrárias ao bloqueio de recursos de cerca de 30% do orçamento de despesas para custeio das universidades e institutos federais anunciado pelo Ministério da Educação (MEC), sob comando do ministro Abraham Weintraub. De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), greves e atos foram convocados para todos os estados do Brasil.

A União Nacional dos Estudantes (UNE) afirmou, em nota oficial, que “em conjunto com diversos movimentos educacionais, convocou o dia 15 de Maio como o Dia Nacional em Defesa da Educação, em que em todos estados do Brasil estudantes, professores, trabalhadores e a sociedade em geral irão às ruas contra os cortes e perseguições às nossas universidades, institutos e escolas.”

O IFC, em Santa Catarina, terá bloqueado cerca de R$ 19 milhões. Deste total, quase R$ 3 milhões são do campus Concórdia. O anúncio saiu no início do mês de maio. Com este bloqueio, a unidade tem parte dos custos prejudicados e, caso sejam mantidos, é possível que o ano letivo seja interrompido a partir de setembro. 

O IFC de Concórdia conta, atualmente, com 209 funcionários, que engloba corpo docente e técnicos administrativos efetivos, além de 54 servidores terceirizados. A instituição oferece ensino médio, superior, mestrado e especialização, o que chega a um total de 1535 alunos.






04 COMENTÁRIOS - Deixe também o seu Comentário



Carlos Amorim comentou em 15/05/2019 as 23:34:38

O povo tem que estar ciente dos ataques que vamos sofrer daqui pra frente. O problema nesse caso do IFC Concórdia é que boa parte da população não sabe da importância que o instituto tem pra região: são técnicos, engenheiros, agrônomos, veterinários e professores formados todos esses anos. Muitos não sabem que é público (gratuito) e sequer foram visitar e conhecer, sendo que o mesmo é aberto a população. É uma injustiça falar mal sem conhecer as dificuldades que já existem.
Miguel comentou em 15/05/2019 as 15:55:53

Para os que manjam de exatas, 320 bilhões em déficit esse ano. Sabe o orçamento da educação??? 100 bi. Que tal pedir uma reforma da previdência na manifestação ?
Rodrigo Stain comentou em 15/05/2019 as 15:08:10

Miguel, concordo contigo. E mais, vejam as fotos abaixo da notícia, tem uma com 03 meninas segurando cartazes, no primeiro esta escrito assim "Somos cientistas, somos professores. Não fazemos balbúldia", vejam que "balbúrdia" esta escrito errado. O que se via lá pessoalmente era uma balbúrdia - significado: desordem barulhenta, vozearia, algazarra, tumulto", lá e nas fotos se vê fulia, correria e gente gritando e rindo, não é preciso isso tudo, muito menos risos em um assunto tão sério.
Miguel comentou em 15/05/2019 as 10:17:33

Uma dica, ao invés de protestar, estudem e encontrem soluções para melhorar o país. Se a reportagem da rádio ir até o protesto e pedir o motivo, 90% nem sabem, só estão ali pra matar aula, os outros 10% estão por que alguém mandou. Se houve corte na verba, motivo teve.



© - Ideia Good - Soluções para Internet