Rádio 96 FM

NOTÍCIAS


Economia

Em Concórdia, FGTS deve ser usado para quitar dívidas

CDL também espera que consumidores realizem mais compras.

Por Luan de Bortoli
08/08/2019 às 06h50 | Atualizada em 09/08/2019 - 07h35

O comércio de Concórdia começa o segundo semestre de 2019 vivendo a expectativa de aquecimento nas vendas. Isso ocorre especialmente porque o governo federal confirmou a liberação de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) Os trabalhadores terão direito a sacar R$ 500,00 de contas ativas ou inativas a partir do mês de setembro até março do ano que vem.

Conforme o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Concórdia (CDL), Rogério Cecchin, avaliação é positiva e os clientes deverão, principalmente, quitar dívidas. “É uma das melhores notícias dos últimos tempos relacionada a movimento de compras. Mas a gente pensa não só no poder de compra. R$ 500 é bom com certeza. Esse valor será aplicado no comércio loca, sendo ele na compra ou antecipando pagamentos ou quitando dívidas atrasadas”.

Cecchin explica que não há como mensurar em números o impacto do saque do FGTS, mas que o comércio local vai trabalhar estratégias para atrair os clientes. “Quando o consumidor tem o poder de compra, o comércio sente, reflete. Vem em boa hora esse valor. A gente tem a certeza que vai impactar positivamente sim, mas não temos como mensurar em números. Mas a expectativa é muito boa, com certeza o comércio vai conseguir aproveitar isso, orientar o associado”.

Com a liberação do recurso, o Ministério da Economia espera um aumento de aproximadamente 0,35% no Produto Interno Bruto brasileiro. Cerca de 4,3 milhões de trabalhadores catarinenses poderão sacar recursos das contas ativas e inativas. No total, há uma quantia de R$ 1,8 bilhão disponível para ser liberada – isso não quer dizer, porém, que todo esse volume será resgatado.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM