Rádio 96 FM

NOTÍCIAS


Educação

Câmara Regional Alto Uruguai debate o Ensino Médio

Mais áreas profissionalizantes.

Por Marcos Feijó
29/08/2019 às 14h16 | Atualizada em 29/08/2019 - 14h22

Membros Câmara Regional Alto Uruguai do Movimento Santa Catarina pela Educação estiveram reunidos em Concórdia. Segundo a gerente executiva regional do SESI/SENAI, Silvana Meneghini, o foco do encontro foi o novo Ensino Médio. Num primeiro momento, foram compartilhadas informações sobre a nova Base Nacional Comum Curricular (os impactos na vida escolar dos alunos e os reflexos para a economia regional).

De acordo com a gerente executiva do SESI/SENAI, o novo Ensino Médio prevê que até 2022 todas as escolas deverão ampliar a carga horária de 2.400 horas para 3.000 horas, dessas, 1.200 horas serão voltadas para a formação profissionalizante.  Num segundo momento, foram coletadas opiniões dos participantes sobre a quais áreas deveriam ser contempladas na área profissionalizante. 

Conforme Silvana Meneghini, é possível que as 3.000 horas previstas na carga horária do novo Ensino Médio sejam trabalhadas integralmente em um único estabelecimento de ensino, ou pode ocorrer uma divisão dessas horas entre duas ou mais instituições. “O aluno pode optar por fazer o ensino regular numa escola e fazer o ensino profissionalizante em outras instituições parceiras”, pontua.

O gerente regional de educação, Paulo de Rossi, que participou da reunião da Câmara Regional Alto Uruguai do Movimento Santa Catarina pela Educação, destaca que o encontro foi muito produtivo.  “Foram levantadas algumas sugestões de áreas que podem ser contempladas no novo Ensino Médio, especialmente, na área profissionalizante. Foram sugeridas algumas áreas como: Robótica, Mecânica, Construção Civil, Desenvolvimento Humano, Tecnologias, Jardinagem e Agroindústria”, sublinha.

Para o vice-presidente da FIESC, para o Alto Uruguai Catarinense, Álvaro Luis de Mendonça, foi mais uma reunião representativa, que demonstrou o empenho de todos na discussão dos temas relacionados à educação. 








SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM