Rádio 96 FM

NOTÍCIAS


Concórdia

Outubro fecha com quase dois graus acima da média em Concórdia

Mês também teve normalização no volume de chuva.

Por Luan de Bortoli
08/11/2019 às 06h44 | Atualizada em 09/11/2019 - 05h02


O calor chegou com tudo a Concórdia em outubro. Tanto é que o último mês fechou como o segundo mais quente da década. A média de temperatura máxima no último mês foi de 27,8ºC, enquanto que a média mínima foi de 17,6ºC. Os dados foram levantados pela reportagem da emissora através das informações divulgadas pela Embrapa Suínos e Aves.

Esta alta temperatura registrada em outubro só perdeu para o mesmo mês de 2014, que teve quatro décimos a mais. Já a média mínima foi a maior da década. Ou seja, a temperatura caiu muito pouco no período. Este número também aponta que a média máxima em outubro foi de dois graus acima da média dos dez anos. Já a média mínima ficou 1,6ºC acima da média.

Conforme os dados da Embrapa, a maior temperatura alcança no mês passado foi de 37ºC, no dia 12, enquanto que a menor foi de 11ºC, no dia 23. A máxima de 37ºC, inclusive, rendeu ao período um recorde. Esse valor foi o maior para um mês de outubro na história de Concórdia desde que a empresa faz o acompanhamento meteorológico, em 1988. O valor se igualou ao auge do verão, em janeiro e fevereiro deste ano.

Já quanto à chuva, houve um alívio em relação aos meses anteriores. Outubro fechou com 231 milímetros, bastante acima do que foi registrado nos quatro meses anteriores, período de seca na região. Além disso, foi o segundo maior volume de chuva do ano, perdendo só para janeiro. Na década, ficou dentro da média que é de 230. Mas na comparação com os últimos cinco anos, foi a menor quantidade.

Para o mês de novembro, conforme a previsão do tempo emitida pela Epagri/Ciram, a tendência é de chuva praticamente dentro da média do que se espera para o período, ou seja, vai repetir o cenário do mês anterior. Quanto à  temperatura, a previsão é de próxima a acima da média especialmente no Oeste. Em novembro e dezembro, as massas de ar quente atuarão com mais frequência e serão cada vez mais duradouras. 





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM