Rádio 96 FM

NOTÍCIAS


Concórdia

Estiagem se agrava em Concórdia, diz secretário de agricultura

Previsão não aponta chuva relevante para os próximos dias

Por Luan de Bortoli
14/02/2020 às 06h29 | Atualizada em 14/02/2020 - 19h33


Prestes a completar dois meses, o período de estiagem tem se agravado em Concórdia, informou o secretário de agricultura do município, Mauro Martini. A chuva continua aquém do esperado. A Epagri/Ciram endossa a informação. Conforme relatório emitido pelo órgão estadual na manhã desta quinta-feira, dia 13, três pontos de Concórdia seguiam com o nível de águas abaixo do ideal.

De acordo com o relatório, dois locais continuavam na pior condição de estiagem: o montante da barragem, em São Cristóvão, e a Foz do Rio Claudino, na rua Osvaldo Zandavalli. O ponto da rua Vitório Celant seguia na classificação intermediária de alerta. Conforme dados da Embrapa Suínos e Aves, em Concórdia, neste mês de março, choveu 46 milímetros. Trata-se de uma chuva mal distribuída.

Segundo o secretário de agricultura, nos últimos dias aumentaram os pedidos de transporte de água. “Estamos com essa dificuldade das chuvas desde dezembro, janeiro. E, agora em fevereiro, continua. Temos essa dificuldade com algumas propriedades onde não choveu o suficiente para que se acumulasse água nos depósitos naturais. Nos últimos dias vem se agravando, aumentando o número de propriedades que precisam de água. Temos uma necessidade maior para os animais”.

Ele também informou que algumas culturas têm se mantido mesmo com a chuva isolada, mas outras deverão ser afetadas a médio prazo. “Em fevereiro, num período de 13 dias, choveu durante quatro dias. E nesses dias as culturas temporárias, milho, gramíneas para pastagens, não estão enfrentando tanto problema. As perdas maiores já ocorreram. Vamos ter dificuldade se essa estiagem permanece. A safrinha de milho, se não chover o suficiente teremos problemas.

Estão sendo feitos, diariamente, pela prefeitura, cerca de cinco a seis transportes de água para o interior de Concórdias. As principais localidades que têm recebido a ajuda do poder público são Planalto, Cachimbo, KM 111, Sede Brum, Presidente Kennedy e Linha Guarani.

Na região, pelo menos dois municípios já tiveram que decretar situação de emergência. Seara e Lindoia do Sul são as cidades que mais têm sofrido com o quadro de estiagem, especialmente no campo. E a previsão do tempo ainda aponta pouca chuva para este mês, o que indica a continuidade da condição de estiagem na região.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM