Rádio 96 FM

NOTÍCIAS


Esportes

Chapecoense vence e confirma volta à Série A do Brasileiro

Figueirense segue em situação complicada da B.

Por Luan de Bortoli
13/01/2021 às 07h34 | Atualizada em 13/01/2021 - 07h44


A Chapecoense garantiu antecipadamente o seu retorno à elite do futebol brasileiro ao vencer o Figueirense por 2 a 1, na Arena Condá, nesta terça-feira (12). Os gols do acesso foi marcado por Paulinho Moccelin e Derlan, enquanto Diego Gonçalves descontou de pênalti. Já o Alvinegro se complica ainda mais na Série B, na 18ª posição com 36 pontos, na zona do rebaixamento a quatro rodadas do fim. 

Na mesma noite, o América-MG já havia garantido vaga na próxima Série A, após o 0 a 0 com o Náutico. O time mineiro foi ajudado pela derrotas de Juventude e CSA nessa 34ª rodada. Os mesmos resultados contribuíram para a Chape, com 66 pontos, carimbar também seu passaporte de volta e ainda ter chances de título na Série B. Agora, há duas vagas de acesso em disputa - o Avaí permenece nessa briga. 

Como foi o jogo

O duelo catarinense em Chapecó começou quente. O Figueirense teve duas boas chances logo de começo. No primeiro minuto, uma tentativa para Bruno Michel foi travada na hora de chute. Dois minutos depois, após falha do Felipe Santana, Geovane Itinga bateu na cara do gol, mas a bola desviou no goleiro João Ricardo. 

Aos 21 minutos, uma jogada ensaiada na cobrança de escanteio resultou em um cruzamento pelo lado direito. O atacante Paulinho Moccelin, que chegou a ser afastado recentemente após imagens do jogador sem máscara em festa, desviou de cabeça sem marcação na área e colocou a bola na rede para fazer Verdão 1 a 0.  

Ainda na primeira etapa, Renan Luís, em uma bomba de fora da área, e Itinga, de cabeça, tiveram a chance de dar o empate ao Figueira. Porém, o goleiro Rodolfo Castro precisou salvar novamente o time da Capital, após defender o chute de Ronei e, na sequência, o rebote de Moccelin. 

Aos 31 minutos, o Figueirense chegou a comemorar quando Diego Gonçalves meteu de calcanhar e a bola parou na rede, porém a arbitragem marcou o impedimento. No ataque seguinte, a Chape quase marcou o segundo gol, com uma cabeçada de Mike. 

Segundo tempo

A chance inicial após o intervalo foi do Figueirense, em uma tentativa de Diego Gonçalves, que passou rente à trave. A Chapecoense respondeu com Roberto, em mais um chute defendido por Rodolfo Castro. Pouco tempo depois, Denner arriscou de fora da área, e a bola passou perto da trave. 

O torcida do Figueira não acreditou quando Erison, que tinha acabado de entrar, errou um gol feito aos 13 minutos. O castigo veio aos 20 minutos: em falta cobrada por Moccelin, o desvio de Rodolfo Castro parou no pé de Derlan. O toque na bola do zagueiro ainda bateu no travessão antes da Chape comemorar o 2 a 0. 

Em outro lance, Derlan acabou colocando a mão na bola, na própria área. Na cobrança do pênalti, Diego Gonçalves chutou no meio do gol, e João Ricardo arriscou o canto esquerdo, o que deixou o placar em 2 a 1 aos 38 minutos da etapa final. Porém, com o último som do apito, a festa foi do Verdão do Oeste. Sem público no estádio por causa do coronavírus, a torcida comemorou do lado de fora.  

"São homens de honra mesmo", Umberto Louzer, técnico da Chapecoense, em entrevista ao Sportv

Marcada pela tragédia aérea de 2016, a Chapecoense comemorou o título catarinense de 2020 e chorou a morte do presidente Paulo Magro por Covid-19, fica só uma temporada na Série B, após a queda no Brasileirão do ano anterior. Além disso, Santa Catarina volta a ter um clube na elite, após um ano sem representantes.

Já o Figueirense, em seu terceiro jogo seguido sem vitória, mantém sua luta para fugir do Z-4. Na próxima sexta-feira (15), às 17h30, a equipe pega o Brasil-RS, no Scarpelli. Depois, serão duas partidas fora de casa, contra CRB e Juventude. A participação alvinegra se encerra em Florianópolis, diante da Ponte Preta. 

"Você não pode nunca abaixar a cabeça", Jorginho Cantinflas, técnico do Figueirense

Ficha técnica

Chapecoense: João Ricardo; Matheus Ribeiro, Felipe Santana, Derlan e Roberto; Willian Oliveira, Anderson Leite (Ronei) e Denner (Lucas Tocantins); Mike (Aylon), Perotti (Alan Santos) e Paulinho Moccelin (Foguinho). Técnico: Umberto Louzer

Fonte: NSC Total





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM