Rádio 96 FM

NOTÍCIAS


Concórdia

Paulo Branchi e Clélio Dal Piaz comentam migração da Rural

Profissionais marcaram nome na emissora.

Por Marcos Feijó
15/01/2021 às 09h18 | Atualizada em 15/01/2021 - 18h11


O 93.7 já pode ser acompanhado em caráter experimental. O jornalismo da emissora está ouvindo profissionais que passaram pela casa. Paulo Branchi foi apresentador de noticiários e narrador esportivo. Hoje ele milita na imprensa de Florianópolis. “Fico muito satisfeito em saber que a Rural avança outra etapa tecnológica indo para o canal onde todos estão ou estarão e acabando com a diferenciação”, cita. “Somado a isso, a qualidade de sempre dos profissionais da emissora dará continuidade à referência do rádio que a Rural é no sul do Brasil. Sempre foi assim por suas instalações e equipamentos”, continua Paulo Branchi. “Estou mesmo muito alegre em saber deste avanço e que a Rural seguirá dando retorno à comunidade”, finaliza.

Clélio Dal Piaz também foi apresentador de noticiários da Rural, comentarista esportivo e gerenciou a emissora. Ele começa fazendo um histórico sobre a migração: “o AM tem 115 anos e o FM 88 anos no mundo. As transmissões por AM estavam prejudicadas por outras fontes eletromagnéticas. A saída foi a migração com decreto assinado em 7 de novembro de 2013. E em 18 de março de 2016 a Rádio Progresso de Juazeiro do Norte, Ceará, foi a primeira a migrar”, informa. 

Quanto a Rural, o professor de jornalismo e hoje um dos proprietários da Belos FM e do jornal Folha Sete, Clélio, cita a “ressurreição de uma emissora pioneira em Concórdia e na região com ótimo som e alcance e novas tecnologias que aumentarão a integração com o ouvinte e sem limites de sintonia, pois se o aparelho radinho AM está prejudicado agora expande a audiência por aplicativos e internet”. Clélio finaliza dizendo que “o importante agora é comemorar e aproveitar. É imprescindível para as comunidades e os serviços de utilidade vão continuar e melhor. Muda a tecnologia, mas isso é com técnicos e engenheiros e já está encaminhado”. 





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM