Rádio 96 FM

NOTÍCIAS


Coronavírus

CDL Concórdia reúne setor de eventos e busca ajudar na retomada

Classe foi uma das mais afetadas durante a pandemia.

Por Luan de Bortoli
07/04/2021 às 06h07 | Atualizada em 06/04/2021 - 11h05


A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Concórdia reuniu na última semana na sala de reuniões da entidade um grupo de empresárias ligadas ao setor de eventos no município. O encontro teve como principal objetivo ouvir as dores e pleitos da classe, que é uma das mais afetadas desde o início da pandemia em meados de março de 2020, com a paralisação quase que completa das atividades até o momento.

O presidente da CDL, Gabriel Sabino, o gestor, Valmir da Costa, a coordenadora de eventos, Maira Giuliato, a assessora de imprensa, Fabiana Passarin e o assessor jurídico, Eduardo Boita, receberam as empresárias, Sandra Gomes, Jussara Camargo, Iolanda Anzanello e Jandaia Peruzzo, que fazem parte de um Comitê de Crise do setor criado logo no início da Covid-19, com a finalidade de entender os problemas dos profissionais diretos ou indiretos afetados pelo isolamento social e paralisação dos eventos em todos os níveis.

Durante a reunião a entidade se comprometeu em ajudar o setor. A primeira iniciativa será o envio de mais um Ofício para o Prefeito e à Governadora, desta vez pautado na retomada dos eventos com segurança e critérios com capacidade de 20% da taxa de ocupação dos espaços. O Comitê também defende um novo formato descentralizando as decisões, dando autonomia para que cada região avalie a sua situação e adote iniciativas.

Além disso, o Comitê destaca a chegada da vacina em massa para os concordienses, assim como medidas mais efetivas de cunho financeiro como ampliação das linhas de crédito e planos viáveis de retomada também para quem trabalha com eventos.

“Estamos trabalhando a mais de um no vermelho, literalmente as contas não fecham. Muitos de nós infelizmente tiveram que desistir da profissão, somos milhares no Estado e precisamos de ações efetivas. Com a nossa paralisação todos saem prejudicados, sem eventos mesmo que minimamente não temos hotelaria, nem restaurantes e afins, assim como comércio fortalecido. Agradecemos o apoio da entidade em nos ouvir, mas este é um momento que necessitamos de agilidade nos processos”, destaca Jandaia.

Jussara explica que já existe regulamentação para a retomada, mas o que falta é flexibilização nos Decretos e Portarias que autorizam a volta dos eventos, mantendo todas as medidas de enfrentamento e resguardando a saúde e a vida das pessoas. “Não somos insensíveis diante desta situação, sabemos que o momento ainda é delicado na saúde, mas assim como outros setores precisamos de equilíbrio. Criamos um grupo com cerca de 48 pessoas ligadas ao setor de eventos, e infelizmente muitas estão agonizando em colapso pedindo ajuda”.

Sem poder operar por um longo período, os empresários assim como acontece com o setor de bares, restaurantes, alimentação, afins temem pela falência de muitos. A entidade entende que todos merecem atenção, pois fazem parte do comércio prestador de serviços e geram empregos e renda na cidade. “Estamos solidários a situação de mais um setor importantíssimo para Santa Catarina, o que eles pedem é a volta com segurança, critérios, protocolos e ajustes. A isenção de impostos e criação de auxílio financeiro imediato, são medidas de emergência que precisamos solicitar dos nossos governantes. O impacto neste setor será um dos maiores de toda essa pandemia e devemos nos unir e tentar fazer algo por todos os CNPJs. Eles não buscam uma retomada desordenada e com centenas de pessoas aglomeradas, mas sim uma retomada que seja viável e com tranquilidade para todos. A ideia é começar com eventos pequenos e aos poucos elevando a taxa”.

A entidade também pontua a valorização do setor, com a contratação de profissionais da cidade nas mais diversas áreas como fotográfica, vídeos, decoração, delícias culinárias, artistas locais, entre outros.

Fonte: CDL





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM