COLUNA DO LUÍS LONGHINI


Luis Longhini


Dia Nacional dos Surdos: inclusão, direitos e avanços. Confira!


Por Luís Longhini
Entrevista
23/09/2022 às 12h22
Compartilhar

CHAPECÓ – Na segunda, dia 26, é o Dia Nacional dos Surdos, uma data de reflexão a respeito dos direitos e da inclusão das pessoas surdas na sociedade. A data foi instituída pelo decreto de lei nº 11.796 em 29 de outubro de 2008.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 10 milhões de pessoas têm alguma deficiência auditiva no país, entre as quais 2,7 milhões são completamente surdas.

De acordo com a fonoaudióloga do Comunica Centro Auditivo, Luciana Bramati, diversas conquistas já foram alcançadas, como o reconhecimento da Libras como meio legal de comunicação e expressão, a obrigatoriedade do ensino de Libras na formação de professores, a obrigação do ensino bilíngue para crianças com deficiência auditiva e a obrigatoriedade da presença de um intérprete de Libras nos órgãos públicos.

Luciana esclarece que a surdez acomete, principalmente, a faixa dos 60 anos de idade, sendo que 9% nascem com a condição e 91% adquirem ao longo da vida. É uma deficiência que se agrava com o passar dos anos e, considerando o processo de envelhecimento da população brasileira, a tendência é que os números aumentem. 

Atualmente existem aparelhos auditivos que devolvem audição para quem tem perda auditiva. Contudo, ainda existe o preconceito e a não adesão ao aparelho.


 

Não tenha vergonha do seu aparelho auditivo. Ele é maravilhoso e é uma preciosidade. Atualmente temos tecnologias que tornam os aparelhos auditivos cada vez menores e imperceptíveis. O que realmente importa é ouvir bem, ter qualidade de vida e convívio social. –, destaca, Luciana.



Porém, ainda há muito a se fazer para garantir a total inclusão das pessoas surdas no Brasil, e a data serve para nos lembrar disso e promover o diálogo sobre o assunto.

Fonte: com informações de Darlei Luan Lottermann



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR







VEJA TAMBÉM