NOTÍCIAS



Especial

Dois anos depois, precariedade da SC-283 ainda é a mesma


Em 2014, rodovia foi fortemente afetada por chuvarada.

Por Luan de Bortoli
29/04/2016 às 08h22 | Atualizada em 29/04/2016 - 08h59
Compartilhar

Quase dois anos depois de um dos períodos mais chuvosos em Concórdia, a situação da SC-283 continua a mesma. Em junho de 2014, vários dias seguidos de chuva deixaram um saldo bastante negativo em rodovias da região. Na SC-283, um dos pontos mais afetados foi a localidade conhecida como Bica D'agua, onde parte da via cedeu, ficando apenas em meia pista.

Desde lá, se fala muito em medidas urgentes de recuperação, mas até agora, o que se vê é apenas um grande risco para a integridade física de todos aqueles que utilizam a rodovia, que é importante elo de acesso entre Concórdia, Seara e Chapecó. O repórter Serginho Primam foi ao local na manhã desta quinta-feira, 28, e constatou que a situação permanece a igual a daquela época. 

Ele conversou com vários motoristas, especialmente caminhoneiros, que relataram para ele a apreensão que é passar todo dia pelo rodovia - ouça os relatos abaixo. No local, meia pista não existe mais e uma outra foi improvisada no acostamento, onde os motoristas que fazem dois sentidos diferentes precisam utilizar, muitas vezes ao mesmo tempo, gerando uma disputa perigosa à vida. O vídeo abaixo mostra exatamente esta situação.

Recuperação

Mas parece que em breve a rodovia passará pela aguardada recuperação. O Departamento Estadual de Infraestrutura confirmou no início do mês que o Ministério da Integração Social disponibilizou R$ 7,2 milhões para a recuperação de 22 trechos de toda a região oeste que foram afetadas na época. E a SC-283, em Concórdia, será uma das prioridades. Segundo o superintendente do órgão no Oeste catarinense, Elio Godoy, o trabalho deve iniciar ainda em abril, assim que o governador Raimundo Colombo assinar a ordem de serviço.

São 12 rodovias no total a serem recuperadas com obras que já foram licitadas. Godoy lembra que a SC-283, entre Concórdia e Chapecó, e a SC-155, em Xavantina, foram as mais afetadas, e por isso serão as que receberão maior atenção durante os trabalhos que devem durar um ano, segundo expectativa do Deinfra.



Confira o áudio:







01 COMENTÁRIO
Deixe também o seu Comentário




GILSON EDUARDO PRAVATO comentou em 01/05/2016 as 18:25:05
SENHOR COLOMBO FALTA VERGONHA NESTA SUA CARRA
ESTÁ ACABANDO COM O NOSSO ESTADO E A EDUCAÇÃO VAI DE CARONA ESTÁ UMA VERGONHA 2 ANOS E NADA FEITO VAI CRIAR VERGONHA......



VEJA TAMBÉM