Rádio 96 FM

NOTÍCIAS


Agropecuária

Avicultura e suinocultura pedem medidas para minimizar impactos no setor

Alto custo de produção é o principal fator que afeta os produtores.

Por Lucas Villiger
04/06/2021 às 14h30 | Atualizada em 05/06/2021 - 23h17


A avicultura e a suinocultura são segmentos que representam boa parte do PIB do estado de Santa Catarina, como também é responsável pela grande quantidade de empregos gerados. Porém, devido a estiagem e o alto preço das rações, o setor de suínos e aves emitem um alerta de socorro para as autoridades, alegando dificuldades com o alto custo de produção.

O presidente do Sindicarne, José Antônio Ribas, comenta sobre a força do setor no estado. “O setor já vem do desafiador ano de 2020 com a pandemia, desafiador para todo cidadão do mundo, e mesmo com toda essa crise da pandemia, o nosso setor foi o que mais gerou emprego, receita e renda”, explica. “Nosso setor alavancou a economia de municípios, estados e país também, fomos o setor que mais empregou no país em 2020, com tudo isso a resiliência e o protagonismo do setor vem sendo muito forte, mas agora o setor está acabando seu folego”, completa José.

Diante da situação que os produtores passam, o setor solicita uma série de medidas para minimizar o impacto do alto custo de produção. José comenta sobre a principal medida solicitada pelos produtores. “Temos algumas medidas que estamos tratando com o Governo Federal via Ministério da Agricultura, a primeira e a mais relevante é a imediata liberação do desembarque de milho americano no Brasil, essa liberação é fundamental para que a gente possa criar um pouco de equilíbrio, principalmente para Santa Catarina”, explica. “O tema está travado em uma questão técnica, entendemos que as espécies de milho plantados nos Estados Unidos são diferentes das do Brasil, mas é importante que tenha a compreensão que não estamos trazendo milho para plantio, nós estamos trazendo milho para ração”, finaliza José.

Além dessa medida, os produtores solicitam também a liberação dos tributos dos fretes de grãos de outros estados, para assim o milho chegar em Santa Catarina com um preço mais acessível. Além da parceria com as secretarias dos estados do sul para ampliar o plantio de cereais de inverno, para equilibrar esse cenário de oferta e procura.





SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM