NOTÍCIAS



Especial

O uso da tecnologia na agroindústria


Rastreabilidade gera segurança em toda a cadeia produtiva

Por Simone Vieira
17/07/2022 às 19h47 | Atualizada em 18/07/2022 - 10h04
Compartilhar


Conforme dados do Município de Concórdia (2021), o município ultrapassou a marca de R$ 1 bilhão em negócios gerados pela comercialização de produtos primários da agropecuária, tendo por base o ano de 2020. O movimento foi gerado através da compra e venda com a utilização da Nota Fiscal do Produtor Rural.

Por ordem na cadeia produtiva, os maiores geradores no movimento foram, a produção de suínos em primeiro lugar, seguido por aves e depois leite. Concórdia ocupa o primeiro lugar em produção de suínos em Santa Catarina, o segundo lugar em produção de aves e possui a maior bacia leiteira do Estado. 

O agronegócio faz com que Santa Catarina com frequência seja destaque no mercado global com marcas como BRF, Aurora, entre outras. Na edição de número 92 da Revista Forbes, Concórdia aparece com a Copérdia na lista "Forbes Agro100 - As 100 Maiores Empresas do Agro”. Segunda maior cooperativa agropecuária de Santa Catarina, a Copérdia, somente em 2020 processou 250 milhões de litros de leite. Atualmente a cooperativa possui quase 1000 produtores integrados na atividade que entregam juntos aproximadamente 500 mil litros de leite por dia. 


Nesse cenário faz-se necessário o desenvolvimento de Softwares que otimizem e façam com que os produtores tenham mais controle dos fluxos de produção, logística e rastreabilidade de suas propriedades. 

Não é à toa que, conforme o Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação (SEDETI), Wagner Simioni, cresce cada vez mais o número de empresas de tecnologia voltadas ao setor. “Somente com CNAE principal para desenvolvimento de softwares, existem hoje em Concórdia, 34 empresas registradas no município”. 

Desenvolvedores de Softwares

Nossa equipe entrevistou o professor e desenvolvedor de Softwares, Maximiliano Pezzin, que possui mais de 35 anos de experiência. “Max”, como é conhecido, já atuou por 15 anos como Coordenador do Curso de Sistemas de Informação da Universidade do Contestado. Para o profissional, a rastreabilidade em toda a cadeia produtiva é fundamental para desde a produção até a indústria leiteira. “Hoje com a rastreabilidade desde a produção até a indústria, com auxílio da tecnologia, em caso de algum problema no produto, um caso muito comum são as questões de sanidade animal, é possível identificar exatamente de qual lote é oriundo o produto”. 

A automação desde a propriedade até a indústria faz com que o nível de produção aumente cada vez mais, otimizando custos e fazendo com que marcas no estado se torne cada vez mais competitivas globalmente. O maior exemplo na cidade é a própria BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, que iniciou suas atividades em Concórdia. 

Para Max, esse espírito empreendedor dos desenvolvedores concordienses, sem dúvidas, tem matriz cultural muito forte. “Essa história de sermos: “a capital do trabalho”, não é só slogan não. Existe um espírito empreender diferenciado em Concórdia, o nível de inovação é inegável, é acima da média.  Muitas empresas de informática são destaque nacional e até internacionalmente”.  

A presença de programas voltados especificamente para a indústria e implementar soluções voltadas para o nível de produção que as indústrias exigem, gera desafios ainda maiores para os desenvolvedores. “Com a carga de automação que temos hoje qualquer empresa pode aumentar de forma exponencial a sua produção utilizando a mesma área de produção. É o que acontece em muitos países desenvolvidos que possuem território muito menor que o Brasil possui, mas que investe em pesquisa, automação e tecnologia”, destaca Max. 

Hoje é média salarial no setor de atividades profissionais, científicas e técnicas gira na casa de R$ 5 mil reais. Porém, para o professor, nesse setor os salários podem ser muito maiores. “Já tivemos alunos que fazem desenvolvimento de softwares que trabalham de forma remota para multinacionais e recebem em Euro. Existe uma demanda global não suprida. Os Estados Unidos, por exemplo, criam programas de incentivos aos “Gênios da programação” com visto de trabalho facilitado, Green Card, entre outros incentivos”. 

O professor explica que esse boom das empresas de desenvolvimento de software veio sim por uma exigência governamental, para controle fiscais e tributários mais apurados, mas porque Concórdia é uma terra de empreendedores. “Temos muitos produtores batalhadores, nossa região é da agroindústria, tivemos alunos que trabalham na propriedade o dia todo, a noite chegavam cansados para estudar, mas sempre tive a impressão que esse espírito batalhador estava muito presente em pelo menos 5% dos alunos que estão aí colaborando nos mais diversos setores e fazem com que nossa agroindústria seja nossa referência”. 



O professor destaca que a tecnologia faz com que a informação esteja interligada no mundo todo. “Observamos os recentes problemas de sanidade animal no mundo todo, inclusive envolvendo agroindústrias catarinenses. Em poucas horas, graças a rastreabilidade, esse cruzamento de informações possibilita identificar, mesmo que o problema seja do outro lado do mundo, qual propriedade aqui, no interior de Concórdia, qual lote apresentou problemas”. 

A empresa Digisat Tecnologia, por exemplo, segue forte no segmento industrial. O sistema desenvolvido pela empresa promete uma automação inteligente, com controle de rastreabilidade dos produtos produzidos e das matérias primas (lote e número de série). Com programação automatizada, fases de produção, controle de entregas, estoques físicos, dentre outras vantagens. 

Tecnologia na Produção Leiteira

O Gerente de Fomento de Leite da Copérdia, Flávio Durante, explica que o principal benefício do uso dessas tecnologias é ter o controle e gestão de plantel. “As propriedades estão ficando cada vez maiores e precisam estar alinhadas com as exigências da indústria leiteira: gestão do plantel, vaca em lactação, preparo, novilhas. gestão de reprodução, de toda a qualidade do leite. Saber ganho de peso, altura, todos os demais indicadores. Gestão das inseminações, partos, doenças, produtividade, custos, resultados, patrimônio”.

Com esses dados, é possível obter uma produtividade maior, para que sejam fornecidos uma maior produção a indústria. 



Software para indústrias

A Indústria Fornari, que é uma empresa especializada no desenvolvimento de equipamentos para o Agronegócio, não apenas para o mercado brasileiro, mas mundial, também já serviu de laboratório para criação de módulos de tecnologia voltados para o setor industrial. 

De acordo com a CEO da empresa, Luciane Fornari, uma empresa de Concórdia já está desenvolvendo módulos voltados para a indústria. “Demos a oportunidade para uma empresa desenvolvedora de software de Concórdia para que eles pudessem desenvolver o módulo indústria. Ele ainda está em desenvolvimento, mas para a média empresa, que é o caso de nossa região, software de gestão industrial são bem maiores. Nós já utilizamos outras plataformas, que conseguimos acompanhar os dados de projeto a projeto”. 

A empresária explica que na indústria sob sua gestão, são desenvolvidos pequenos softwares e hardwares em máquinas que são utilizadas em incubatório, tem-se em estágio embrionário o próprio sistema de desenvolvimento. 

Venda de empresas de Softwares em Concórdia

O professor Maximino Pezzin, que ganhou destaque nacional, ao desenvolver um programa que identifica o plágio em qualquer documento, e que hoje está liberado gratuitamente para uso, explica que muitas empresas desenvolvedoras de softwares em Concórdia são valoradas pelo número de Clientes. “As empresas são valoradas pelo número de clientes, pelo produto que oferece e o futuro destas está em oferecer seus serviços diretamente em nuvem, aliás somos mais dependes dos sistemas, da internet, do que da energia elétrica”, destaca. 

Em 2020, uma das empresas com reconhecimento nacional, a Compufour foi vendida para a software house italiana Zuchetti. A transação foi avaliada em mais de R$ 100 milhões de reais. Atualmente, segundo informações de seu portal, a empresa possui mais de 43 mil clientes em todo o Brasil.  Recentemente foi ventilada na imprensa, a venda de duas outras empresas concordiense no mesmo setor, e pela mesma house italiana, Zuchetti. 



Fonte: Matéria com a colaboração do Jornalista Lucas Villiger




SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM