NOTÍCIAS



Especial

​Hoje completa um ano do Caso Roseli Stoll


O corpo de Roseli até hoje não foi encontrado.

Por Lucas Villiger
02/12/2022 às 06h03 | Atualizada em 02/12/2022 - 19h47
Compartilhar


Um crime que chocou a região e o estado de Santa Catarina. O Caso Roseli Stoll esteve nas principais manchetes dos jornais no mês de dezembro de 2021 e janeiro deste ano. A maneira que o crime aconteceu movimentou as redes sociais, causando uma comoção coletiva. O corpo de Roseli, que foi colocado no fundo do lago da Usina Hidrelétrica de Itá, até hoje não foi encontrado.

Hoje você acompanha a retrospectiva deste caso, observando o dia a dia dos acontecimentos que movimentaram a região.

Dia 2 de dezembro de 2021: Último dia que Roseli foi vista

A Polícia Civil de Concórdia através do Setor de Investigação e Captura está investigando um caso que pode terminar em sequestro. Segundo boletim de ocorrência registrado na Central de Polícia. Uma mulher moradora do Bairro Sintrial está desaparecida desde o dia 02 de dezembro. Segundo o que foi repassado pela família e colegas de trabalho, a vítima Roseli Fátima Stoll foi vista pela última vez na quinta-feira da semana passada, quando saiu do trabalho em um restaurante localizado no centro de Concórdia para ir para casa e de lá para cá não foi mais vista. Conforme a irmão Andréia Stoll, Roseli nunca havia desaparecido e sempre mantinha contato com a família e amigos.

A família foi até a residência e nada foi levado. Segundo a irmã nem a roupa do varal foi tirada desde o dia do desaparecimento da mulher. O principal suspeito do sequestro seria o ex namorado de Roseli, que sempre foi contra a separação do casal e segundo o que foi apurado ele também está desparecido.

Dia 8 de dezembro de 2021: Confirmada a morte de Roseli e buscas no lago se iniciam

O suspeito de ter sequestrado Roseli Fátima Stoll disse à polícia ter assassinado a concordiense. Ele foi preso na noite desta terça-feira, dia 07, na ERS-122, na cidade de Antônio Prado, no Rio Grande do Sul. Ele confessou o assassinato aos policiais durante depoimento. A mulher estava desaparecida desde 2 de dezembro.

O homem, que era ex-companheiro da vítima e principal suspeito do desaparecimento, disse que matou a companheira e arremessou o corpo em um rio com uma pedra amarrada ao corpo. Ele teria cometido o crime em Concórdia. O autor, de 34 anos, com antecedentes por perturbação de sossego, segue preso.

O corpo ainda não foi localizado, mas buscas foram iniciadas. A Polícia Civil de Concórdia já está no estado gaúcho. O delegado regional solicitou à justiça um mandado de prisão preventiva. Se autorizada, ele será conduzido ao Presídio Regional de Concórdia. 



Dia 10 de dezembro de 2021: Suspeito realiza reconstituição do caso

O homem de inicias J. R., de 34 anos, suspeito de matar a concordiense Roseli Fátima Stoll, foi levado novamente ao local provável de abandono do corpo, no interior de Alto Bela Vista, para auxiliar mais uma vez nas buscas pelo corpo da ex-namorada. Os trabalhos já estão no terceiro dia.

De acordo com as informações, o suspeito, que está preso em Concórdia, esteve na comunidade de Entre Rios entre 09h e 10 horas para participar de uma espécie de reconstituição. Ele foi colocado em um bote e fez o provável trajeto de quando abandonou o corpo. O local apontado é o mesmo onde o cão farejou indícios. 

Pela indicação feita pelo suspeito durante esta manhã, nesta espécie de reconstituição, o ponto em que o corpo foi deixado tem 22 metros de profundidade. Pelo menos quatro equipes de quatro cidades auxiliam nas buscas. Os mergulhadores contam com a ajuda de outros equipamentos tecnológicos, como uma câmera subaquática, que ajuda a dar uma visibilidade melhor, de cerca de um metro a mais do que a natural. 

Dia 12 de dezembro de 2021: Mãe de Roseli vai até o lago para acompanhar buscar

Nesta manhã de domingo, 12, a mãe de Roseli está no local, muito emotiva, mas com expectativa que o corpo de sua filha seja encontrado logo.

O trabalho do Corpo de Bombeiros fica mais difícil, porém eles estão utilizando uma estratégia diferente hoje. Eles continuam com as buscas com o gancho, mas eles apostam em outro sistema. Há uma possibilidade do corpo já estar flutuando, como há mais de um metro de corda que amarra o corpo na pedra, os Bombeiros passam um cabo perto do fundo do lago, visando enganchar na corda. Hoje, devido à chuva, os Bombeiros não fazem mergulhos. 



Dia 16 de dezembro de 2021: Polícia Civil conclui o inquérito sobre morte de Roseli

A Polícia Civil concluiu na tarde desta quinta-feira(15) e enviou ao Poder Judiciário o inquérito sobre a morte de Roseli Fátima Stoll(38). Conforme informações do delegado Álvaro Optz repassadas à imprensa, J.R, companheiro, foi indiciado em homicídio triplamente qualificado doloso, motivo torpe e ocultação de cadáver.

O inquérito também fala em asfixia, embora o corpo não tenha sido, ainda, localizado. Trata-se de crime contra mulher com violência de gênero. E que a Polícia Civil não conhece informações concretas sobre possível gravidez de Roseli que poderia ter motivado o crime. “Investigação rápida, mas complexa”, resume Alvaro Optz que cita a colaboração da Civil e Brigada do Rio Grande do Sul. J.R está preso preventivamente.



Dia 17 de dezembro de 2021: Corpo de Bombeiros encerram as buscas no lago

O tenente André Germanovix, comandante do Batalhão dos Bombeiros Militares de Joaçaba, anunciou na manhã desta sexta (17) a suspensão das buscas pelo corpo de Roseli Stoll em Alto Bela Vista. Reunião com os envolvidos deliberou pela suspensão, sendo a sexta o último dia. Esta informação já foi passada para a Polícia Civil e os familiares. "Foram utilizados todos os recursos possíveis com homens, cães e equipamentos. Mais de 100 km navegados, mais de 15 mergulhos (profundidade média de 25 metros) feitos, e nenhum vestígio", disse o oficial.

A decisão da suspensão é técnica, pois a varredura possível foi feita. "Voltamos aos quarteis, mas ficaremos em prontidão", finaliza o tenente.



Dia 18 de dezembro de 2021: Ministério Público denuncia acusado da morte de Roseli

O promotor do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), Luís Otávio Tonial, responsável pela 2ª Promotoria de Justiça de Concórdia, no Oeste de Santa Catarina, ofereceu nesta sexta-feira (17), a denúncia contra o acusado pela morte da auxiliar de cozinha Roseli Fátima Stoll, de 38 anos.

De acordo com o promotor, consta na denúncia a prática de dois crimes: homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. As qualificadoras do homicídio são morte por asfixia, a dificuldade de defesa da vítima e o feminicídio que configura a questão da violência doméstica.

“Um crime que chocou a sociedade. Além de tirar a vida de Roseli, o autor desse crime também ocultou o seu corpo impedindo que a vítima tivesse um momento de despedida, o que aumenta o sofrimento dos familiares. É um crime bastante grave, a Polícia Civil fez um excelente trabalho de investigação e que possibilitou a chegada até o autor  e a sua prisão preventiva”, observou Tonial.

O processo agora será encaminhado ao Poder Judiciário e será analisado por um juiz que vai verificará a existência de indícios suficientes para o recebimento da denúncia. A partir disso, inicia o processo criminal contra o acusado. O homem segue preso preventivamente no Presídio Regional de Concórdia.

Dia 4 de janeiro de 2022: Familiares de Roseli realizam protesto no centro de Concórdia

No dia 3 de janeiro completou um mês o desaparecimento de Roseli Stoll (38). O até então companheiro dela disse que a matou asfixiada com um cinto na residência dele, na área urbana de Concórdia, na virada do dia 2 para o dia 3 de dezembro e que ao amanhecer desovou o corpo no lago da Usina Hidrelétrica de Itá na comunidade de Entre Rios em  Alto Bela Vista. De lá pra cá houve buscas com bombeiros, cães, sonares e outros equipamentos. Depois a família passou a vigiar a área, mas até agora o corpo não apareceu e alguns técnicos em buscas aquáticas já afirmam que poderá nunca mais surgir. 

O homem confesso e que está preso, indiciado pela Polícia Civil e denunciado pelo Ministério Público, esteve duas vezes no local em que confirmou ter largado o corpo envolto em um lençol e com uma pedra amarrada.

Nesta terça (04), final da tarde, familiares e amigos fizeram uma manifestação no centro de Concórdia com passeata até a Delegacia da Mulher. "Cadê a Roseli" era a tônica dos cartazes e também  repetido por todos em fala quando na chegada da delegacia. Também houve um momento de oração na Rua Coberta.



Dia 2 de dezembro de 2022: Após um ano do caso, o suspeito está preso e aguarda Tribunal do Juri

Após um ano do caso, o principal suspeito está preso no Presídio Regional de Concórdia, onde aguarda a data para o Tribunal do Juri. Após inquérito da Polícia Civil e denúncia do Ministério Público, o caso será julgado pelo Juri para assim ter a definição da pena para o réu confesso.
 
Quer receber nossas notícias em primeira mão? Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp clicando aqui e receba as principais matérias do dia para ficar sempre bem informado com os acontecimentos da cidade e região. Te convidamos também para nos seguir no Instagram através do @radioruralconcordia e acompanhar os bastidores da Rádio, com conteúdos exclusivos de vídeos e imagens.




SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR




VEJA TAMBÉM